Apostilas: Mais Duas de Língua Portuguesa

Olá leitores,

publicamos mais dois arquivos em nossa seção de apostilas. Vá em Downloads >> Apostilas. As duas novas são de Língua Portuguesa: Definições da Língua e Funções da Linguagem e Elementos de Comunicação. Em breve, publicaremos novas apostilas, fiquem ligados.

Bom fim de semana e bons estudos.

@LSBar

Exercícios de Português

Olá leitores,

agora o curso mentor tem publicado também listas de exercícios de língua portuguesa com gabarito. Para conferir vá até a página de downloads e depois clique em listas de exercícios.

Um abraço e bons estudos.

@LSBar

 

Mais um simulado para a EPCAr/CMRJ

Olá alunos e leitores.

Disponibilizamos mais um simulado de Língua Portuguesa e Matemática para a EPCAr. Para acessar vá até O Curso >> EPCAr/CMRJ.

Bons estudos.

@LSBar

Pratique para a prova do SEAP com uma prova da mesma banca

Olá leitores e alunos,

este ano a prova do SEAP será organizada pela CEPERJ. Como esta banca está estreiando no SEAP a gente disponibiliza aqui uma prova da mesma banca para servir de preparação: é a prova do PROCON de 2012. Clique no link abaixo para baixar e treine usando as questões de português. Disponibilizamos também o gabarito.

Prova_Agente_PROCON_RJ_2012 / GABARITO_PROCON_2012

Um abraço e bons estudos.

Equipe Mentor

Teste Seus Conhecimentos: Simulado + Gabarito SEAP 2012

Olá leitores,

hoje aconteceu o primeiro simulado da turma do SEAP 2012. Este simulado conteve 10 questões de língua portuguesa, 5 questões de direito administrativo e 5 questões de direito constitucional.

Você pode conferir o simulado e o gabarito clicando no link abaixo:

Simulado – Constitucional – Administrativo – Português – 11_03_12 – SEAP 2012

Equipe Mentor

Dica de Gramática #2: Uso do PORQUE

“Porque”

Quando não se puder  substituir por pelo qual. Pode ser:

a) Conjunção subordinativa causal;

Exemplo 1:

Não sabe nada porque não quer.

b) Conjunção coordenativa explicativa;

Exemplo 2:

Venha cedo, porque precisamos trabalhar.

c) Conjunção subordinativa final.

Exemplo 3:

Orai, porque não entreis em tentação. (porque = para que)

“Por que”

Quando se puder substituir por  pelo qual. Poderá ser:

a) Pronome relativo;

Exemplo 4:

A razão por que reclamava era justa. (por que = pela qual)

Não sei o motivo por que ele veio.

Observação 1: Pronome relativo que regido da preposição por.

b) Pronome Interrogativo;

Exemplo 5:

Por que ele veio?

Simpatizas por que facção? Diga-me por que time tu torces.

Observação 2: Pronome adjetivo interrogativo regido da preposição por.

c) Pronome indefinido:

Exemplo 6:

Não sei por que (motivo) ele não torceu pro colorado.

Sei por que time tu torces.

Observação 3: Pronome adjetivo indefinido regido da preposição por.

“Porquê”

Quando estiver substantivado dar-se-á por substantivo comum.

Exemplo 7:

Ninguém sabia  o porquê da briga.

Não sei o porquê da sua vinda.

“Por quê”

Quando vier no final de uma frase (pronome interrogativo).

Exemplo 8:

Ele veio por quê?

Não veio por quê?

Observação 4: O acordo ortográfico determina que o vocábulo seja escrito separadamente. No final da frase, torna-se tônico, por isso vem acentuado.

Equipe Mentor.

Dica de Gramática #1: Objeto Indireto x Objeto Direto Preposicionado

Objeto Indireto

Objeto Indireto (OI) é o complemento verbal regido de preposição obrigatória (exigida pelo verbo, que deverá ser transitivo indireto – TI) e sem valor circunstancial. Representa o ser a que se destina ou se refere a ação verbal, mais precisamente, completa a significação dos verbos.

Exemplo 1:

Este rapaz se referiu a seu pai. “referiu” (TI)

Portanto:

Quem se refere, se refere A ALGUÉM (a seu pai = objeto indireto). Ele se referiu a seu pai.

Objeto Direto Preposicionado

Em alguns casos o objeto direto (complemento de um verbo transitivo direto – TD) pode vir precedido de preposição (Objeto Direto Preposicionado – ODP), geralmente, a preposição a.  Na maioria das vezes é para evitar ambiguidade.

Exemplo 2:

Ao tigre matou o caçador. “matou” (TD)

Portanto:

Quem mata, mata ALGUÉM ou ALGUMA COISA. (Ao tigre = objeto direto preposicionado). O caçador foi quem matou o tigre.

Então:

Neste caso, se subtrairmos  a preposição teremos um resultado (no sentido) totalmente diverso daquele pretendido.

Seguem outros exemplos abaixo:

Exemplo 3:

OI = Ela gosta dos pais. gosta” (TI)

ODP = Ela estima (a)os pais.estima” (TD)

Exemplo 4:

OI = Ela obedece a mim.obedece” (TI)

ODP = Ela entendeu a mim.entendeu” (TD)

Exemplo 5:

OI = Esta é a aluna a quem ele se referiu. “referiu” (TI)

ODP = Esta é a aluna a quem ele admira. “admira” (TD)

Exemplo 6:

OI = Ele aludiu a Vossa Excelência. “aludiu” (TI)

ODP = Ele cumprimentou a Vossa Excelência. “cumprimentou” (TD)

Observação:  Objeto Direto Preposicionado

Puxar (d)a espada.

Pegar (d)a caneta.

Saber (de) tudo.

Cumprir (com) o dever.

Equipe Mentor.